Blog

Design versus arte

Design versus arte - A diferença e sua importância

Design versus arte. Qual é a diferença, e como isso afeta a sua carreira como designer? Todos nós sabemos que há uma diferença, mas aqueles fora da nossa indústria podem não ser capazes de notar a diferença. Seus pais, por exemplo, podem se referir a você como um "artista", mesmo que você seja um designer profissional.

Como você explica para eles, ou qualquer outra pessoa que perguntar, que há uma grande diferença entre arte e design? Tem mesmo certeza que você sabe a diferença? Leia mais para descobrir.

A arte pergunta, o design responde

Vamos voltar para o momento que você decidiu que queria ser designer. Para mim, foi quando eu estava na escola. Eu pensei que eu queria ser um "artista", quando na verdade, eu descobri que o meu conjunto de habilidades era mais adequado para o design. Por quê? Porque eu gostava do processo de resolver problemas. Eu não estava tão interessado em fazer perguntas irrespondíveis para o mundo ponderar. Eu queria ter um sistema para entender o mundo ao meu redor.

A questão mais importe - a principal diferença entre arte e design - é que a arte faz perguntas, enquanto o design responde. O design existe para preencher uma necessidade. Arte não preenche nenhuma necessidade, exceto a sua própria necessidade interna de existir e desafiar o espectador. Isso não é uma coisa ruim, por sinal. A arte é um dos elementos fundamentais da cultura humana; todas as culturas que já existiram tiveram suas próprias formas de arte únicas, que elas deixaram para as futuras gerações. Pense em arqueólogos - qual é a coisa mais comum você ouvir falar que é descoberto das civilizações antigas? É isso mesmo - arte. Olaria, arquitetura, pinturas nas paredes ou pedras. A arte é muito importante. E o design também.

Sem tempo para maravilhar

Arte inspira admiração e reverência. Quando você olha para uma pintura, escultura, colagem, ou instalação, sua mente começa a se agitar com uma horda de novas ideias deslumbrantes e você se inspira para refletir sobre todas as possibilidades infinitas que já foram introduzidas a você pelo artista e sua obra . Ah, a magia da arte. Que experiência profundamente gratificante e emocionante.

Designers não têm tempo para isso. Se as pessoas estão maravilhadas com o seu design, isso é legal, mas não é o principal motivo que te levou a criar. Você projeta para tornar a vida das pessoas melhor de formas que elas não necessariamente percebam ou apreciem, mas se não tivessem, elas ficariam perdidas. Os amantes de arte que se aglomeram em torno de Van Gogh no Louvre, provavelmente, todos têm seus telefones na mão, prontos para tirar fotos. Eles não estão prestando atenção nos seus aplicativos de câmera, mas os designers que criaram eles desempenham um papel muito importante, permitindo-lhes compartilhar a suas experiências com seus amigos.

A arte não tem um processo de desenvolvimento

A arte não tem nenhum processo que possa ser duplicado em todas obras para alcançar um ótimo resultado. Não há regras. Costumava haver regras sobre quem pode pintar o que, mas todas elas foram jogadas fora com a ascensão do modernismo. Desde que Edouard Manet começou a pinturar prostitutas em vez de aristocratas, o mundo da arte tem lentamente esquecido todas as regras que já teve. Algumas pessoas estão descontentes com isso, mas esse é o jeito que as coisas são hoje em dia. Qualquer coisa pode ser arte - um mictório, uma árvore, um cachorro - qualquer coisa. Arte não tem regras.

No entanto, há regras no design. Mesmo que o resultado fique "feio", há uma estrutura invisível lá que resolve um problema. Existem as regras físicas do design: o grid, a roda de cores, as regras de composição e layout. Depois, há as regras sobre o que o design deve fazer. Qual problema você está resolvendo? É ergonômico suficiente? Qual será a resposta psicológica do usuário comum a esta disposição particular de elementos de design? Será que vai causar-lhes desconforto, ou será que eles terão uma boa experiência?

Leia também: Significado das Cores

Estas são todas as regras que os designers devem levar em conta se eles desejam criar um projeto bem sucedido. Estes tipos de regras podem deixar um artista louco, mas não nós designers. Nós amamos esse tipo de coisa. Por quê? Bem, eu vou te dizer…

Opostos filosóficos

Você pode apreciar um design ainda mais quando você sabe por que ele foi feito. Não é apenas uma imagem bonita - há uma razão concreta por que ele existe e é um problema concreto que ele resolve. Geeks de design amam se aprofundar na questão do que faz um trabalho de design ser especial. Simplificando, designers utilizam os lados esquerdos (matemáticos) de seus cérebros para criar um trabalho que se assemelha a algo do lado direito (artístico).

A arte, como nós aprendemos, não tem nada dessa estrutura ou razão de ser. Você não precisa entender por que uma obra de arte existe ou como ela foi feita. Tudo que você precisa fazer é apreciá-la pelo que ela é. A arte pela arte, como se costuma dizer. Isso não quer dizer que não há valor na análise da arte de acordo com o momento em que foi feita, ou desconstruir o processo. Só não são necessários para que você possa apreciá-la.

Muito design atrapalha a arte, e vice-versa

Exatamente o que diz acima. Arte e design estão relacionados, de uma forma geral, mas, como vimos hoje, eles não são idênticos em tudo. Os dois são disciplinas totalmente separadas, e as coisas podem ficar muito confusas se você as fundir demais.

Imagine se você trouxer para casa uma cadeira que estava em uma instalação de arte, e sentou-se nela. Ele agora perdeu o seu valor como arte, e é apenas uma outra cadeira. A arte é muito mais dependente do contexto em que ela existe do que o design é. Na verdade, eu diria que o design é o contexto na maior parte do tempo.

Mais uma vez, a arte eo design são vitais para a cultura humana e seu progresso. Eu amo e aprecio ambos, mas no fundo, eu sou um designer. Se você gosta de oferecer soluções para problemas, em vez de fazer perguntas, então provavelmente você é um designer também. Se você é o oposto, é mais provável que você seja um artista.

Leia também: Desenvolvendo bom gosto no design

O que você acha?

Você é um designer ou um artista? Quais outras diferenças e semelhanças você pode lembrar entre arte e design? Diga o que você pensa nos comentários.

Posts Relacionados

  • 20 fontes gratuitas para projetos Minimalistas

    Novos projetos exigem novas fontes, certo? Aqui estão 20 fontes legais para o uso em design minimalista. São todas de 2014 e absolutamente gratuitas para download.

  • Comunidade de Design Gráfico e Web Design no Google+

    Hoje mesmo eu estava procurando uma comunidade de design gráfico ou web design com conteúdo em português no Google+ e por incrível que pareça não encontrei nada. Até pensei que tinha alguma coisa a ver com meu idioma padrão do Google ser em inglês, mas mesmo mudando ele para português não encontrei nada. Por isso decidi criar uma comunidade para começarmos ajudar um ao outro com novidades, dicas e tendências do mundo do design gráfico e web design.

Comentários  

 
Isabel
#2 Isabel 11-05-2016 15:06
Diferenciar um processo do outro pode até ser importante, mas acredito, como o André, que as duas áreas têm mais pontos em comum do que diferenças, pelo menos do ponto de vista técnico. Dizer que a arte contemporânea não tem regras, a meu ver, é um engano, um pensamento limitado e simplista. O que faz sentido são as diferentes intenções envolvidas: um indaga, provoca, estimula, enquanto o outro busca resolver questões práticas, mas ainda assim pode ter intenções artísticas implícitas. As técnicas aprendidas, os processos criativos, a percepção visual e espacial, são atributos comuns ás duas áreas.
Citar
 
 
André
#1 André 16-02-2016 11:14
Eu já acho que separar a arte do design é errada, não podemos rotular as coisas. Design tem arte embutido. Já é difícil no Brasil explicar o que é design, tentar explicar que design não é arte é mais difícil ainda. Sempre ouvi grandes designers falando que um objeto também é feito para ser admirado, mas também utilizado, é o famoso forma-função. Lembrando, um artista não é um designer mas um designer pode utilizar pontos da arte para criar um objeto. Se fosse assim, pra que serviria a matéria de História da Arte nos cursos de design? Ensinar a pintar?
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

© 2017 iDesigns Studio. Todos Direitos Reservados.
Design Gráfico e Web Design - Centro, Vitória, ES